{FP} Lilith Felicia McCready

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

{FP} Lilith Felicia McCready

Mensagem por Lilith F. McCready em Sab Set 27, 2014 11:31 pm



Lilith Felicia McCready

12 anos
Menina
Bruxas
Poderes: Ilusionismo
Era uma sexta-feira chuvosa, beirando as dez horas da noite quando um choro pode ser ouvido junto com a primeira respiração que Lilith tomou na vida. O bebê tão esperado para os pais veio para a alegria de ambos como um anjo trazido dos céus, um milagre que mudaria toda a realidade do bondoso casal. Marianne McCready acreditava que era infértil. Esteve em milhões de médicos diferentes, pagou os ginecologistas mais caros e tentou todos os tipos ortodoxos de tratamento para fertilidade, mas com todas as tentativas e todo o tempo gasto, o resultado do casal era sempre o mesmo: Choro e lamentos. A vida era extremamente injusta para um casal tão bom e amoroso quanto os McCready. Paul era professor de uma universidade de renome e Marianne era uma bibliotecária que havia conhecido o homem em um seminário ao qual os dois compareceram. Foi amor a primeira vista.
Vagando pelas ruas estranhas do Down Town, Paul ouviu falar sobre mulheres que conseguiam métodos não ortodoxos de cura e curioso, visitou uma casa conhecida como a "morada das voodoos". Uma conversa rápida com uma das mulheres que encontrou ali e ela garantiu ao homem que conhecia uma forma de tornar a sua mulher fértil, mas que precisaria da paciência e da ajuda de ambas as partes. Inocente e sonhador, Paul aceitou e pagou uma fortuna às mulheres para realizar o trabalho que, além de perturbador, tomou proporções trágicas. Em primeira instância tudo funcionou bem. Um ritual estranho foi feito, os feitiços cantados e os passos seguidos. Como havia sido mandada, Marianne fez um teste de gravidez cerca de três semanas após o ocorrido e para a grande alegria do casal, o milagre aconteceu: A mulher estava esperando o seu primeiro filho.
Lilith nasceu com oito meses, linda e saudável, sendo o grande orgulho e paixão do casal. Marianne largou o seu emprego para dar total atenção a menina que com o tempo foi crescendo tão linda e adorável que causava inveja a todos a sua volta. Lilith tinha uma personalidade um tanto individual conforme crescia. Diferente das outras crianças não era de fazer muitos amigos, geralmente gostava de ficar sozinha e desde menina adorava quebrar seus próprios brinquedos e arrancar a cabeça das suas bonecas. Lilith tinha um amor especial por fogo, adorava queimar formigas com a lupa e demonstrava uma personalidade sociopata que os pais nunca suspeitaram ser estranhas e sim uma pequena fase. A menina foi criada em meio ao amor, mas o sentimento ainda era nebuloso para ela. O casal não sabia o perigo que jazia sob o seu mesmo teto.
Os poderes de Lilith chegaram cedo. Ainda aos onze anos descobriu que tinha o poder de imaginar coisas perturbadoras e que além disso, conseguia fazer com que algumas pessoas realmente visse o que ela queria. Em primeira instância a menina pensou que fosse algo comum, mas ao descobrir que isso era algo que só ela tinha, que era diferente, o verdadeiro mal brotou em seu pequeno coraçãozinho. Deliciada em assistir a desgraça alheia, começou com animais pequenos iludindo pequenos passarinhos a voarem para a própria morte contra o vidro da sua casa, a cachorros atravessarem a rua na frente de carros e até mesmo a insetos a mergulharem na piscina e se afogar. Depois passou para os amiguinhos da escola, começando a manipula-los e assusta-los, afastar mais pessoas dela do que já era naturalmente até que um dia, na hora do recreio, fez Edgar Solen, um menino do qual não gostava, pular de um brinquedo alto achando que havia chão sob ele e quebrar o braço direito na queda. Lilith era incontrolável, era indomável e foi aí que seus pais descobriram que havia algo de errado.
Mais uma vez, Paul voltou à morada das voodoos, doze anos depois, contando sobre os incidentes estranhos que vinham acontecendo. Com medo do que havia nascido, as bruxas negras mandaram o casal terminar com a vida da sua filha antes que se tornasse um real perigo, mas o casal apaixonado nunca poderiam fazer isso com o seu bebê, amavam sua filha demais. Ouvindo a conversa dos pais que tramavam sobre enviar a menina para uma academia de "moças especiais", Lilith se sentiu tão rejeitada que não teve dúvidas sobre o que fazer. Fingiu que estava dormindo até ter a oportunidade perfeita para entrar na mente dos seus pais e impedir que fosse mandada embora. Primeiro a mãe, que manipulou fazendo-a acreditar que a escada não estava ali quando ela passou pela mesma e desceu os degraus aos tropeços, quebrando o pescoço quando finalmente chegou ao último volume. O pai, Lilith o fez pensar que a água sanitária era uma garrafa de água e logo no terceiro gole o homem já agoniava no chão e soltava o seu último suspiro. A menina não sentia remorso, não sentia nada.
Dois dias se passaram até que descobriram sobre a morte do casal e uma mulher bateu na porta da menina, pedindo por sua guarda e dizendo que a levaria para um lugar de gente como ela. Lilith foi levada à Robichaux onde ela poderia aprender sobre seus poderes e como manipula-los com mais perfeição ainda. Uma casa cheia, cheia de pessoas como ela.

Lilith
Americana
MP

_________________



Lilith F. McCready

Mensagens : 2
Data de inscrição : 27/09/2014

Ficha do personagem
Cargo: Ilusionismo
Inventário:

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum